Fechar Propaganda

OURO BRANCO: a riqueza que brotava do chão

O algodão ocupava grande contingente de mão de obra e seu auge em nosso Município aconteceu no final década de 80, quando Goioerê foi considerado o maior produtor do Brasil com 44 mil hectares cultivados.

Atualizado em 27/05/2017 13:18:21

Na década de 70 Goioerê alcançou o auge populacional chegando a mais de 100 mil habitantes, elegeu o advogado Jaime Rodrigues de Carvalho deputado estadual. Foi fundado o Goioerê Clube de Campo e Rotary Club. O SAAE (Serviço Autônomo de Água e esgoto) inaugurando o primeiro sistema de água encanada da cidade.
Foi erradicado a erosão do solo urbano que sofria com as chuvas, sendo feitas as primeiras galerias pluviais e a dizimação dos cafezais depois da denominada geada negra em meados da década, depois disso a região deu lugar a outras produções mais rentáveis como o soja e principalmente o algodão que no final dos ano 70 começou a dirigir a economia do município, ficando conhecido como o ‘OURO BRANCO’.
O algodão era uma cultura que ocupava grande contingente de mão de obra e seu auge em nosso Município se deu no final década de 80, quando Goioerê foi considerado o maior produtor do Brasil com 44 mil hectares cultivados, abrindo vários teares.
Em 1986 a Coagel construiu uma das mais modernas fiações do sul do país, inaugurada oficialmente em 6 de setembro de 1986, produzindo 320 toneladas por mês de fio de algodão de primeira qualidade, surgiu depois a Sintex que tingia tecidos.
O aparecimento de pragas, políticas agrícolas erradas do Governo federal e preços desestimulantes fizeram com que a partir de 1993 o algodão sofresse também um declínio e passasse a ser cultura secundária no município, tendo pouca importância econômica na virada do milênio.
O declínio do algodão provocou um novo êxodo rural que já havia acontecido depois dos cafezais, o Município que já havia começado a perder população ficou mais reduzido com a emancipação dos então distritos de Rancho Alegre do Oeste e Quarto centenário e as pequenas propriedades são incorporadas por fazendas de soja.
Os pequenos agricultores e os trabalhadores rurais deixam a região em busca de novas fronteiras agrícolas que estavam sendo abertas no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em um processo registrado em quase todos os municípios do Noroeste do Paraná.
Fica a lembrança daqueles caminhões com várias fieiras de algodão, que pela grande quantidade dava até medo de ficar perto, as vezes até tombava, e quem viveu naquela época com certeza se recorda desses bons tempos ?
BELAS LEMBRANÇAS !!!!

JUNIOR CORREIA PAZ

Veja as Imagens da Notícia

OURO BRANCO: a riqueza que brotava do chão


Você também pode querer ver estas notícias!

Vicunha realizou processo de seleção com formandos em Engenharia Têxtil

Posto da região venderá gasolina sem imposto, valor do litro deverá ficar abaixo dos R$ 2,00

Homem mata a esposa grávida de oito meses e se mata na sequência

Vacinação contra a gripe é prorrogada até 9 de junho

Fechar (X)